sábado, 19 de março de 2011

Que quereis que te faça?

Mt 20: 29-34
 Is 33:2
  
  Jesus ao sair de Jericó (perfumado) estava sendo seguido por uma enorme multidão, mas todos sabem que multidão não significa discípulos, servos, filhos e muito menos amigos, isso, também, não quer dizer que alguns destes não estavam contidos na multidão. Por certo tempo de vida cristã encontramos alguns sinônimos de multidão, significados que as vezes mostram a realidade de alguém que segue um “determinado objetivo”, o problema é que na maioria das vezes essas mesmas pessoas estão perdidas, confusas, sem saber o que realmente querem.
  A multidão que seguia Jesus estava fascinada pela sua sabedoria, pela manifestação dos milagres, o foco dos seguidores estava nas grandes manifestações, eram muitos os que observavam e poucos que viviam verdadeiramente. A multidão vislumbrava os milagres, a benção, mas não conheciam o abençoador, e em muitos momentos o rejeitaram. A bíblia diz que o Senhor procura não por multidões, mas sim poradoradores que o adorem em espírito e em verdade” (Jo 4:23)
   De repente alguns gritos começam a chamar a atenção de Jesus. E o que nós percebemos nesta história é que os homens que chamaram a atenção de Jesus eram cegos e que eles não estavam no meio da multidão, eles estavam assentados junto do caminho que vai para Jerusalém, talvez esperando por tanto tempo, mas crendo nas promessas que o messias havia de passar por ali em direção a Jerusalém. Deus escolheu Jerusalém, dizendo: [nela] porei o meu nome para sempre” (2 Rs 21.7 e 2 Cr33.7)  e aqueles homens sabiam que mais do que o nome. Deus levantaria o seu próprio filho para estar ali.
   Outro fato importante a ser destacado é que aqueles cegos usaram um verbo grego (Q’eruso) que significa chamar a atenção de algo e/ou de alguém, este alguém naquele instante era Jesus. O clamor proferido por Bartimeu e por seu companheiro de sofrimento varou a multidão literalmente atravessou a todos, indo de encontro ao coração do Senhor.  
   Nisto destacamos alguns princípios que nos levarão à manifestação dos milagres de Deus:
A declaração e o reconhecimento(Jesus filho de Davi) Estas palavras estavam reconhecendo Jesus como Rei, messias e Salvador, sendo, também uma forma autêntica do cumprimento das profecias. A lâmpada de Deus não mais se apartaria da casa de Davi, haveria sempre o brilho da gloria de Deus sobre sua geração. Em Mt 4:16   diz “que o povo que estava assentado em trevas viu uma grande luz, e aos que habitavam na região da sombra da morte, resplandeceu-lhes a luz”. Bartimeu estava assentado sobre trevas, em escuridão, mas naquele instante o seu coração viu resplandecer uma luz, e de imediato sua boca se abriu para reconhecer Jesus. Queridos sem reconhecimento não haverá a manifestação de Deus
O clamar pela misericórdia  (tem misericórdia de nós) O vocábulo de Jesus naquele instante adentraram no coração de bartimeu, em Mt 9:30 Jesus disse “Ide, pois, e aprendei o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifícios”., Mt 12:7 Mas, se vós soubésseis o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifícios. A palavra misericórdia do hebraico (hesed )significa um concerto de amor leal, estendido a outros, a misericórdia nos leva ao amor genuíno, ao arrependimento profundo, nos fazendo alcançar graças ao olhos de Deus.
 A misericórdia não é um simples sentimento, não é, também, uma emoção passiva, mas um desejo ativo de acabar com a causa do sofrimento do outro. Quando Deus estende a sua misericórdia sobre nós, Ele está derramando do seu mais precioso balsamo sobre o nosso ser, sobre nosso intimo. Rm 9:15 diz  “Ele ( Deus) terá misericórdia de quem tiver misericórdia”.
A busca e a persistência (a multidão os repreendia para que se calassem) Mesmo que o mundo inteiro tente calar a nossa voz, não devemos cessar de buscar ao Senhor, pois a resposta de Deus não vem sobre o nosso desejo, ela nasce na vontade de Deus pra suprir nossas necessidades. A Bíblia diz que nós devemos buscar ao senhor enquanto se pode achar (Is 55:6). A mesma multidão que seguia Jesus repreendia aqueles homens para pararem de clamar, mas eles não pararam. O desejo de continuar a gritar era cada vez mais forte, e a Bíblia diz que eles clamavam cada vez mais alto, mais intenso (Mt 20:31).
A entrega dos nossos desejos e vontades(que os nossos olhos sejam abertos) Salmos 5:2 diz “atende a voz do meu clamor Rei meu e Deus meu” o desejo deles não era apenas a restauração dos olhos, da visão, eles queriam muito mais do que simplesmente enxergar. A Bíblia nos ensina que se os nossos olhos forem bons todo o nosso corpo o será luz (Mt 6:22)  Lucas  nos diz  que “Se, portanto, todo o teu corpo for luminoso, sem ter qualquer parte em trevas, será todo resplandecente como a candeia quando te ilumina em seu resplendor”. Por isso entende que bartimeu e seu companheiro estavam buscando mais, eles buscavam vida em abundancia, visão de reino, restauração e intimidade com Jesus.

Conclusão  E Jesus movido de intima compaixão tocou-lhes nos olhos
   Precisamos aprender que a restauração passa pelo olhar, pelo modo de como enxergamos, de como entendemos o reino de Deus. Por muitas vezes estamos no caminho do Reino, mas sem luminosidade, sem a presença de Deus, com um coração escasso da chuva do senhor, vivendo em trevas e sem perspectivas. Mas o Senhor nos chama pra perto de nós. Assim como o fez com bartimeu. Jesus disse traga-o aqui, e ele se achegou (Lc 18:40).  Precisamos abrir nossos olhos, deixar o Senhor tirar toda a cegueira espiritual, limpar nossas vestes, e refletir sobre nós a sua gloria. Em Mc 10:49b diz tem bom ânimo, levanta-te, que Ele te chama. E Jesus movido de intima compaixão tocou-lhes nos olhos (Mt20:34) na intensidade do desejo do Senhor há um grande amor por todos aqueles que se aproximam do seus pés para adorá-lo e bendizê-lo.

                                                                                                                                       Pr. Eugênio Serlam

Nenhum comentário:

Postar um comentário