terça-feira, 16 de agosto de 2011

A rota de conquistas

  É comum ouvirmos quase em todas as ministrações, nos cultos e até mesmo na E.B.D que o Senhor já nos entregou o melhor, e que também existem promessas intensas que já podemos tomar posse. Mas a realidade na vida de muitos é que parece que a benção não chega, e que o milagre nunca virá. O grande mistério que circunda a vida de tais cristãos é que não se conhece a rota de conquistas, o povo já não sabe mais que rumo tomar, mesmo conhecendo as promessas, a igreja não consegue, em muitos momentos, tomar posse daquilo que é por direito nosso, se faz como herança ao povo exclusivo de Deus.
  Falar sobre a rota de conquistas é muito mais do que simplismente conhecer um caminho, e traçar estratégias para chegar até o objetivo almejado, estar na rota de conquista é viver intensamente as promessas do Senhor, fazendo delas um manual de apropriação, de legitimação de vitórias. Outro dia pregava numa certa igreja e naquela ocasião falava sobre salmo 127: filhos como flechas, e naquela ocasião disse que agradecia a Deus por aquilo que ainda não tinha, pois sabia que o que não tinha hoje, estava nas mãos de Deus e nas nas mãos do Senhor estava mais bem guardada do que nas minhas. Aquelas palavras foram lançadas como flechas no coração da igreja, e percebi naquele instante que algumas pessoas mudaram seus conceitos em relação ao que se busca.
  A rota de conquista é o que descrevo como a segunda milha a ser seguida, é o andar não pela obrigação, como é o da primeira milha, mas sim o andar pelo desejo de completar, e completar para vencermos o que outrora nos foi imposto. As vezes somos impulsionados pelas circunstâncias a andar por veredas angustiantes, dolorosas e escuras, mas não é o fato de estarmos por este caminho que não podemos alcançar, tomar posse e muito mais que isso, viver as promessas de Deus.
  Flp 3.14 diz que "prossigo para o alvo pelo premio da soberana vocação de Cristo Jesus, o nosso Senhor" prosseguir, andar firmimente baseado num sonho, numa vontade até alcança-la como vitória. Is 49.10b diz: "quando anar em trevas e não tiver nenhuma luz, confie no Senhor e firme -se sobre o seu Deus. Não é o lugar que vocẽ está, nem as situações que enfrentamos que faz a diferença em nossos caminhos, e sim aquele que nos torna forte, e gera em nós a confiança que necessitamos.
  Quando Israel estava no deserto tentando chegar até a terra prometida por vários momentos perderam a direção,  o caminho a ser seguido, pois havia uma nuvem de dia e uma coluna de fogo à noite, e mesmo assim, rodearam por muito tempo o deserto. O fator diferencial na rota da conquista é o que queremos e porque queremos, dois princípios que podem levar o cristão a se encontrar ou se perder nos propósitos de Deus. Na rota de conquistas aprendemos:
1. Que os sonhos de Deus são sempre maiores que os nossos sonhos
2. Que  precisamos nos mover segundo a determinação de Deus
3. Que o desejo de conquistar tem que glorificar a Deus.
  I Jo relata que "aquele que diz que está n'ELE também deve andar como ELE andou, ou seja na rota de conquistas, na vereda dos milagres. O caminho por onde o povo de Deus manifestará a intensidade das promessas.

Eugênio Serlam
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário